Alguém aí conhece uma frutinha chamada Damasco? ;)

Os damascos são umas das maravilhas pouco conhecidas do reino das frutas. Apesar de serem essencialmente uma fruta de verão, eles são facilmente encontrados, enlatados ou secos, durante o ano inteiro. Os damascos secos apresentam uma grande quantidade de ferro e fibras.

Os damascos são uma das melhores fontes de vitamina A, devido à presença de beta-caroteno. A vitamina A protege e mantém saudáveis os olhos e a pele, fortifica o sistema imunológico, e é um poderoso anti-oxidante. Três damascos proporcionam 30% da quantidade recomendada por dia de vitamina A. Eles também são uma excelente fonte de vitamina E, B2 (riboflavina), vitamina C e licopeno, um anti-oxidante poderoso que ajuda a prevenir o câncer, doenças do coração e enfartes.

Os Damascos e o Paquistão

Os melhores damascos do mundo vêm de Hunza, no Paquistão, onde os moradores têm uma boa saúde. A população de Hunza é considerada uma das mais saudáveis do mundo, com uma expectativa de vida de mais de 100 anos, e praticamente sem nenhum histórico de câncer. Seus habitantes mantêm uma boa forma sendo ágeis e ativos, física e mentalmente, e mesmo os mais idosos continuam praticando esportes, lado a lado, com pessoas bem mais jovens. A dieta destes paquistaneses consiste, naturalmente, de muitos damascos, sejam eles frescos ou secos. Também utilizam seu óleo para cozinhar e em loções faciais, e costumam comer os caroços, picados ou moídos, misturados com mel. A longevidade e a boa forma da população de Hunza foram atribuídas às altas concentrações de vitamina B17, conhecida como amidalina ou laetrile na sua forma pura, encontradas dentro do caroço do damasco, e que ajudam na prevenção do câncer.

Os habitantes de Hunza consomem, por dia, entre 50-75mg  desta vitamina, e praticamente inexistem ocorrências de doenças do coração, pressão alta e colesterol. As sementes também são ricas em proteínas e gorduras. Outras fontes de amidalina são as amêndoas amargas, as sementes das maçãs, as sementes de uva, o painço (ou milho miúdo), as favas e outras sementes e grãos.

Uma curiosidade é que os Inuit (esquimós da região do Ártico) que ainda mantém uma dieta rica em vitamina B17 (de outras fontes que não o damasco) permanecem intocados pelo câncer, ao passo que aqueles que adotaram uma dieta mais ocidentalizada passaram a apresentar indícios da doença.

 

O Damasco é um dos melhores alimentos para evitar câimbras e ajudar combater o envelhecimento precoce.

No meio do treino – ou da prova – surgem contrações em um determinado músculo. As dores são fortes e obrigam o atleta a interromper a atividade física. A cãibra é um espasmo involuntário, onde o músculo se contrai e não consegue relaxar sozinho. Baixa de cálcio e potássio na circulação, desidratação e acúmulo de ácido lático por excesso de esforço, são algumas das causas do problema. As cãimbras são muito comuns para quem pratica exercícios e podem ocorrer devido a alguns fatores: má alimentação, desidratação, preparação física inadequada e problemas de circulação, entre outros fatores. Embora não se caracterize necessariamente como uma lesão, o problema é um incômodo grande para quem gosta de exercitar-se.

Nem sempre as dores são provocadas durante o exercício físico e, em alguns momentos, a pessoa pode ter cãimbras durante o sono. Isso pode ocorrer por conta de problemas na circulação sanguínea. No caso do exercício físico, o acúmulo de ácido lático é um das principais causas. Um cardápio adequado, entretanto, pode ser uma boa forma de evitar o problema.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *